Sephora gringa: o que vale a pena comprar

compras-sephora-internacional-viagens18

Se tem uma coisa que eu amo fazer quando viajo – inclusive é uma das primeiras coisas que eu planejo hehehe – é passar na Sephora (e farmácias também, mas isso fica pra outro post). Não só porque lá tem produtos iguais aos que temos aqui só que com preço bem mais amigo, mas também porque a linha própria deles é maravilhosa e tem coisas que não chegam nem perto de vir pra cá.

Quando fui pra Europa não pude deixar de ir na Sephora da Champs-Élysées de Paris porque né, tudo a ver, mas pode ser em qualqueeer país, em qualquer lugar desse mundo, a Sephora sempre vai ser uma boa visita. Nessa que eu fui eu fiz a festa, fiz a louca mesmo e fiquei impressionada com a variedade de produtos da marca própria e com preço totalmente acessível mesmo convertendo pra reais!

Três coisas que eu comprei e que valeram super a pena:

• Água termal hidratante: odiei o cheiro de talco que tem mas ele é bem hidratante apesar de bem fluido. Fora a embalagem que é redonda e lindinha, né? Ocupa certo espaço na mala mas vale a pena.

• Shampoo a seco: é mara, funciona com pouco produto e não deixa aqueles resíduos brancos. Se soubesse que era tão bom tinha trazido estoque!

• Óleo all-in-one: é daqueles óleos multiuso que pode ser usado tanto no cabelo, quanto no corpo, quanto no rosto! No cabelo uso como reparador de pontas, no corpo uso no banho (e tiro o excesso na água) e no rosto, bem pouquinho, a noite, pra acordar com pele de princesa.

Cada um deles foi 8 euros o que achei um preço super honesto, não? Adorei!

Salvador – Parte I: Passagem, Carnaval, Praias

Pra quem não sabe (e se não sabe é pq não me segue no instaaaa, sua feia! me segue lá <3) eu fui pra Salvador no feriado do carnaval e aí resolvi escrever umas diquinhas (me sentindo A guia turística) porque né, vai que alguém aí precisa pro ano que vem!

Seguinte, primeiro de tudo, a passagem tava cara, MUITO CARA, então era praticamente uma opção excluída da minha vida até que, parãn, uma promoção no decolar.com da Avianca! Paguei R$742 + taxas (que deu R$866 ao todo) pra ir no sábado a noite e voltar sexta de madrugada (no caso, “de quinta pra sexta”). Pra mim valeu super a pena porque tinha visto passagem por R$2000!

Não fiquei em hotel pois tenho parentes que moram lá e fiquei hospedada na Praia do Flamengo, que segundo eles é uma das melhores praias de Salvador, em questão de limpeza e tranquilidade. Realmente é uma praia super bonita mas estava beeeem cheia, com certeza por causa do feriado e nos últimos dias tava bem poluída por causa do lixo jogado pelas pessoas :( uma pena! A praia não é de tombo mas as ondas tavam bem fortes, então não é uma praia muito legal para ficar relax no mar a não ser que vá bem pro fundão.

Screen Shot 2015-02-22 at 7.29.35 PM

Na praia tem basicamente barracas de bebida, pois as de comida foram proibidas pela prefeitura para evitar a poluição. Geralmente o serviço demora um pouquinho mas o preço é bem bacana.

Maaas vamos falar do que interessa: o carnaval. Fui totalmente despreparada, sem abadá, sem camarote, sem lenço nem documento, e fiquei na pipoca (aquela parte na rua, no meio do povo mermo) e gente, eu AMEI. É uma daquelas experiências que todo mundo tem que ter na vida, sabe? Fui no circuito Barra-Ondina e conferi a programação no próprio site do evento. Achei demais que os trios são super pontuais e você pode escolher ir atrás dele ou ficar e ver todos passarem. Apesar de rapidinho, dá pra curtir bastante cada um deles.

A área que eu tava era bem policiada e não vi nenhum incidente, o que achei incrível <3 E gente, quando o trio passa, até quem odeia carnaval e axé fica feliz, porque é uma coisa contagiante de verdade! Me diverti horrores!

Screen Shot 2015-02-22 at 7.38.27 PM

Como a região em que passam os trios fica fechada para carros, uma solução é ir de taxi até onde dá e seguir a pé ou fazer o que eu fiz: peguei um ônibus circular, com taxa fixa de ida e volta de R$25, que sai de vários pontos (peguei no Shopping Salvador Norte) e te deixa na boca do trecho. Tem vários pontos de embarque então fica tranquilo tanto se você quiser permanecer na Barra (o que eu fiz) ou se quiser seguir o trio até Ondina!

É isso! Acho que contei tudo, não?

Vou fazer o post “Salvador – Parte II: Onde comer” em breve (e fiquem ligadas pq tem dicas maaaara e puro amor!)

Salvador – Parte I: Passagem, Carnaval, Praias

Pra quem não sabe (e se não sabe é pq não me segue no instaaaa, sua feia! me segue lá <3) eu fui pra Salvador no feriado do carnaval e aí resolvi escrever umas diquinhas (me sentindo A guia turística) porque né, vai que alguém aí precisa pro ano que vem!

Seguinte, primeiro de tudo, a passagem tava cara, MUITO CARA, então era praticamente uma opção excluída da minha vida até que, parãn, uma promoção no decolar.com da Avianca! Paguei R$742 + taxas (que deu R$866 ao todo) pra ir no sábado a noite e voltar sexta de madrugada (no caso, “de quinta pra sexta”). Pra mim valeu super a pena porque tinha visto passagem por R$2000!

Não fiquei em hotel pois tenho parentes que moram lá e fiquei hospedada na Praia do Flamengo, que segundo eles é uma das melhores praias de Salvador, em questão de limpeza e tranquilidade. Realmente é uma praia super bonita mas estava beeeem cheia, com certeza por causa do feriado e nos últimos dias tava bem poluída por causa do lixo jogado pelas pessoas :( uma pena! A praia não é de tombo mas as ondas tavam bem fortes, então não é uma praia muito legal para ficar relax no mar a não ser que vá bem pro fundão.

Screen Shot 2015-02-22 at 7.29.35 PM

Na praia tem basicamente barracas de bebida, pois as de comida foram proibidas pela prefeitura para evitar a poluição. Geralmente o serviço demora um pouquinho mas o preço é bem bacana.

Maaas vamos falar do que interessa: o carnaval. Fui totalmente despreparada, sem abadá, sem camarote, sem lenço nem documento, e fiquei na pipoca (aquela parte na rua, no meio do povo mermo) e gente, eu AMEI. É uma daquelas experiências que todo mundo tem que ter na vida, sabe? Fui no circuito Barra-Ondina e conferi a programação no próprio site do evento. Achei demais que os trios são super pontuais e você pode escolher ir atrás dele ou ficar e ver todos passarem. Apesar de rapidinho, dá pra curtir bastante cada um deles.

A área que eu tava era bem policiada e não vi nenhum incidente, o que achei incrível <3 E gente, quando o trio passa, até quem odeia carnaval e axé fica feliz, porque é uma coisa contagiante de verdade! Me diverti horrores!

Screen Shot 2015-02-22 at 7.38.27 PM

Como a região em que passam os trios fica fechada para carros, uma solução é ir de taxi até onde dá e seguir a pé ou fazer o que eu fiz: peguei um ônibus circular, com taxa fixa de ida e volta de R$25, que sai de vários pontos (peguei no Shopping Salvador Norte) e te deixa na boca do trecho. Tem vários pontos de embarque então fica tranquilo tanto se você quiser permanecer na Barra (o que eu fiz) ou se quiser seguir o trio até Ondina!

É isso! Acho que contei tudo, não?

Vou fazer o post “Salvador – Parte II: Onde comer” em breve (e fiquem ligadas pq tem dicas maaaara e puro amor!)